+55 (21) 3860-1234

Faq's

Algumas respostas as suas questões

Perguntas Mais Frequentes

As presentes FAQ's têm um caráter genérico. As informações nelas fornecidas não têm em conta circunstâncias pessoais ou específicas.

Dedetização significa eliminar ou afastar insetos. Atualmente, usamos o termo técnico de controle integrado de pragas para nos referir a tudo que envolve um plano de contenção de insetos. 

A forma correta é dedetização. Este termo significa aplicar um inseticida com o objetivo de eliminar uma praga. A palavra é um neologismo proveniente da nomenclatura da substância conhecida como DDT, pesticida muito utilizado no passado contra insetos.

Controle de Pragas ou Controle integrado de Pragas (CIP) consiste em uma análise ampla do local que precisa ser dedetizado. Verificação da biologia das pragas, prevenção de infestação, utilização de técnicas de monitoramento, aplicação de barreiras físicas, adequações do ambiente e controle biológico e mecânico estão entre as medidas a serem adotadas dentro de um plano de controle de pragas. O objetivo desta ação é prevenir ao invés de combater o risco de contaminação do ambiente, do homem e dos animais. Já a dedetização é o ato de aplicar um inseticida visando combater, eliminar ou afastar uma determinada praga através do uso de técnicas como pulverização, nebulização, termonebulização, polvilhamento, injeção, aplicação de iscas granuladas e aplicação de gel.

Em geral, além de serem portadoras de doenças, as baratas são insetos que incomodam. Antes de contratar um serviço para eliminá-las, é preciso observar os hábitos desses insetos a fim de dar à empresa um relato fiel sobre o caso. Confira como descobrir se o seu ambiente precisa de dedetização:  

- Baratas não dormem. Elas se recolhem enquanto há luz e saem geralmente à noite, quando já está escuro. Esses insetos possuem pelos na parte traseira, que detectam com precisão qualquer movimento de ameaça. Além disso, elas têm visão perfeita e audição capaz de detectar pequenos ruídos. O mais indicado é a contratação de um serviço de dedetização de qualidade.    

- Quando as baratas são vistas durante o dia, é sinal de que já existe uma infestação, uma vez que não há lugar para todas no ninho.  

- Existem dois tipos básicos de baratas nos ambientes urbanos: as de esgoto (de cor marrom e grandes) e as de cozinha (menores e geralmente encontradas em armários). Ambas podem transitar de um local para outro dentro de um mesmo prédio, através de corredores, lixeiras e outros ambientes.  

- A dedetização de baratas deve ser executada de acordo com as espécies presentes no local. Desta forma, é possível aplicar a técnica adequada para cada caso.   

- Os aerossóis e líquidos possuem regras rigorosas para aplicação, sendo bastante eficazes quando usados de forma correta em locais estratégicos. Os de efeito de choque visam desalojar insetos em frestas e cantos, enquanto os de efeito residual formar barreiras temporárias para agir nos insetos ao transitarem nos locais onde foram aplicados. Já o gel tem como objetivo atrair as baratas ao serem aplicados próximos dos locais onde elas se abrigam. Esse último tem capacidade de permanecer por longo período exercendo sua função.  

- Verifique se a empresa de controle de pragas está regular perante aos órgãos de fiscalização ambiental e de saúde. Contrate somente empresas com licença ambiental emitida pelo INEA, devidamente regularizada junto à secretaria de saúde municipal. Esta será sua garantia de um serviço com a utilização de produtos e técnicas registrados dentro das normas de segurança.

Os valores cobrados para uma dedetização variam em função do tamanho da área a ser tratada. Além disso, tipo, quantidade de pragas, método e tempo de garantia também pode fazer esse valor oscilar. Desta forma, não há como calcular um orçamento padrão por metro quadrado. No entanto, para serviços mais comuns, as empresas costumam ter valores tabelados em função da quantidade de pavimentos e/ou cômodos.     Para serviços mais complexos, como descupinização, desratização de grandes áreas ou controle de pragas em locais como comércio de alimentos, armazéns, clinicas e hospitais, industrias e grandes condomínios, o orçamento deve ser apresentado somente após visita técnica ao local.  

Apesar da evolução da indústria, os produtos usados na eliminação de pragas são substâncias químicas e possuem grau de toxidade, ainda que em pequenas quantidades.  Desta forma, todos - inclusive as iscas em forma de gel e inseticidas micro encapsulados, além do sistema Sentricon de controle de cupins - devem ser aplicados com respeito às recomendações técnicas dos fabricantes e dos órgãos de saúde e meio ambiente. É importante também verificar as orientações do cliente quanto aos cuidados a serem tomados.

Depende do tipo de serviço que vai ser usado no ambiente. Atualmente, existem diversas técnicas para controle de pragas. Você pode optar, se possível for para o seu caso, pelo uso de inseticidas que não deixam residual e evaporem rápido quando aplicados em locais abertos, por exemplo. No entanto, se o seu caso não se enquadrar nesses métodos, pode ser necessário um período de afastamento do local de 24h até 72h. Consulte nossa empresa para mais informações.

A preparação para o processo de dedetização é simples. Para receber uma equipe, você precisa preparar o ambiente para que eles tenham fácil acesso aos espaços a serem dedetizados. Indicações do cliente em relação a locais onde as pragas são avistadas também são muito importantes. As seguintes recomendações são sugeridas:

- Atenção aos animais de estimação, crianças pequenas, idosos e pessoas alérgicas.

- A limpeza da casa deve ser feita antes da dedetização. Quanto melhor a limpeza, melhor a qualidade do serviço, uma vez que os inseticidas terão mais facilidade em se fixar (recomenda-se nova limpeza com panos úmidos somente após 7 dias).

- Alguns serviços, tais como descupinização e dedetização de traças, precisam que os armários estejam vazios e as roupas guardadas em locais seguros.

- Avisar dia e hora do serviço aos moradores do local.

- Não tenha medo de dar informações à sua dedetizadora. Quanto mais informações sobre o ambiente, melhor será o resultado.

Dentre as pragas que mais incomodam os pets, as pulgas e carrapatos são os mais comuns. Nos meses mais quentes, eles se proliferam com mais facilidade. Desta forma, como os animais de estimação circulam por vários locais, em pouco tempo toda a casa poderá ser infestada. O controle de carrapatos e pulgas deve ser feito em duas etapas com um intervalo de 10 dias entre as aplicações. Paralelamente ao controle do ambiente, é preciso levar o animal ao veterinário para prescrição do tratamento específico. Recomendamos marcar a visita ao veterinário no mesmo dia agendado para a dedetização. Quanto ao prazo para retorno do animal ao local tratado, é necessário seguir as recomendações da resposta número 7, além da orientação do próprio veterinário. É possível também ministrar, sob supervisão de um especialista, comprimidos que podem ser usados a cada 90 dias. Eles protegem o animal de infestações e controlam carrapatos e pulgas também nos imóveis.

Antes de contratar uma dedetizadora para controle de pragas urbanas no Rio de Janeiro, é preciso verificar se a mesma possui licença ambiental emitida pelo INEA, além de registro na Vigilância Sanitária. Confira outras dicas: - Verifique quanto tempo a empresa está em atividade e procure referências de trabalhos anteriores. - Certifique-se que os produtos utilizados são de qualidade e com registro na ANVISA. - Verifique se o prazo de garantia de assistência técnica está dentro da lei e não é demasiadamente longo. - Confirme se os funcionários estão devidamente uniformizados, identificados e usam o EPI fornecido pela empresa, além de máscara, luvas e óculos de proteção. - Verifique se a empresa emite o comprovante de execução dos serviços de acordo com o padrão exigido pelo INEA. O documento deve ter as informações dos produtos usados, medidas preventivas e demais exigências da normativa NOP’s disponíveis para consulta nos canais da entidade

Sim. A Lei Municipal n. 1353/1988 - regulamentada pelo Decreto Municipal n. 8738/89 - determina a realização de dedetização anualmente, a exceção dos estabelecimentos que comercializem produtos perecíveis, cuja periodicidade deve ser de seis meses. Esta medida também torna obrigatória a dedetização em supermercados, mercearias, padarias, restaurantes e bares, hospitais e clínicas, drogarias, academias de ginástica, institutos de beleza, lojas de departamentos, estabelecimentos de ensino, e hortifrutigranjeiros de atacado e varejo. No entanto, a periodicidade prevista em lei não garante que infestações não ocorram antes do período de 12 meses.  O ideal é executar tratamentos preventivos para evitar que as pragas se proliferem. Dependendo da localização do condomínio, das condições das áreas, do tamanho do empreendimento residencial, do tipo de coleta de lixo, entre outros tantos fatores, torna-se necessária a contratação do serviço cuja a periodicidade das dedetizações e desratizações pode variar de 30 dias a 6 meses.   Lixeiras, rede de esgotos, ralos e áreas com entulhos, além do tratamento de dedetização preventiva, devem passar por monitoramento e limpeza constantes.

Existem normas específicas para controle de pragas em restaurantes. Nesse caso, não basta apenas a aplicação do inseticida. Também é preciso de uma limpeza rigorosa e fiscalização da vigilância sanitária, uma vez que o surgimento e proliferação de pragas nesses ambientes é bastante comum. A legislação que rege o controle de pragas em estabelecimentos alimentícios é a RDC n. 216, de 15/09/2004. Ela se aplica a todos os serviços de alimentação como cozinhas institucionais, restaurantes, lanchonetes, cantinas e refeitórios. O controle deve ser feito de forma contínua, englobando ações de dedetizações mensais, além do armazenamento correto dos alimentos.

Além das normativas estabelecidas pela ANVISA (RDC 52 de 22/10/2009), as empresas de controle de pragas sediadas no Rio de Janeiro devem se sujeitar às normas do INEA  (Lei Estadual n.7806 de 12/12/20170). É preciso também de um registro na Secretaria Municipal de Saúde.

Sim. Nossa empresa está habilitada a realizar dedetizações em todos os bairros do Rio de Janeiro e demais municípios.

Sim. A Lei Estadual n. 1893 de 20/11/91 (regulamentada pelo Decreto n. 20.356 de 17/08/94) obriga todos os estabelecimentos públicos ou privados, que mantenham reservatórios de água destinados ao consumo humano, a realizar a limpeza semestral dos mesmos. Além disso, a análise bacteriológica após a limpeza também é obrigatória.

Existem diversos métodos de descupinização. Eles podem variar de acordo com o local atacado e as características de cada infestação. Neste processo, a primeira providência que deve ser tomada pelo descupinizador é analisar todo o local. Após isso, é preciso identificar o tipo de praga, localizar as colônias, verificar o grau de infestação e  orientar o cliente quanto ao procedimento que será utilizado. Vale ressaltar que é necessário sempre solicitar uma visita técnica para realizar o controle de pragas.

Existem várias espécies que atacam a madeira. Os cupins subterrâneos, por exemplo, são insetos sociais como as formigas, que geralmente formam colônias no solo ou em locais escuros, protegidos e úmidos. Eles buscam alimentos através de túneis subterrâneos ou externos, dificultando que se perceba sua presença e causando maiores prejuízos, já que vão se disseminando pela estrutura da construção.  São insetos que se propagam na época do acasalamento através de revoada, formando outras colônias ou construindo novos ninhos de uma mesma colônia. Os cupins de madeira seca também são insetos sociais, mas suas colônias são formadas no interior das peças. Eles deixam vestígios que são capazes de ser identificados através dos furos onde depositam suas fezes – uma espécie de pó granulado. Propagam-se por revoada, de intensidade menor que os subterrâneos, e por dentro da peça atacada. Diferente dos cupins, as brocas de madeira não formam colônias. Elas dão início ao ataque através da colocação de ovos na superfície da peça. Após eclodirem, os ovos se transformam em larvas, que penetram pelos poros e aberturas naturais da madeira. Depois de passar pelo estágio de pupa, um pequeno besouro alado, chamado caruncho, sai da madeira para reprodução. A partir daí é possível visualizar um pequeno orifício com pó fino como farinha. São insetos que podem causar danos de forma mais lenta que os outros. A qualquer sinal dessas pragas, solicite a visita de um técnico da sua dedetizadora para um orçamento de descupinização ou dedetização.

O sistema Sentricon é um método de proteção, que monitora, identifica e elimina os ninhos das colônias de cupins subterrâneos. Diferente dos convencionais, esse procedimento age diretamente nas colônias por meio de um sistema de iscagem à base da substância hexaflumuron - potente ingrediente ativo que acaba com os cupins subterrâneos. Desta forma, é um sistema que aproveita o comportamento de busca de alimentos dos cupins, fazendo com que eles levem a isca para colônia. É considerado um tratamento não invasivo e não apresenta riscos às pessoas e animais. Além disso, os benefícios deste procedimento são imensos, como ausência de odor e garantia de eliminação da colônia sem perfuração de qualquer móvel e sem desocupação do espaço. Após a eliminação da colônia e encerramento do contrato, o sistema poderá ser mantido por um período de 12 meses (renováveis) para monitoramento e proteção do prédio contra novos ataques.

Os ratos são considerados uma das maiores pragas urbanas do mundo. O combate é feito através do uso de raticidas em iscas de diversos tipos: porta iscas, pó de contato, e armadilhas de captura aplicadas de forma estratégica (de acordo com a espécie infestante). É importante observar também as características do local a ser tratado. Os raticidas profissionais aprovados pela ANVISA agem de forma lenta sobre os ratos, provocando a eliminação alguns dias depois de sua ingestão. Desta forma, a colônia continua consumindo as iscas até a completa erradicação de seus integrantes. Os blocos parafinados são usados em locais onde a isca pode entrar em contato com água, como é o caso dos bueiros. Já as iscas granuladas ou peletizadas são normalmente usadas em caixas porta iscas com pequenas aberturas por onde os ratos entram para se alimentar. Enquanto isso, os pós de contato são utilizados no acesso das tocas ou passagens estreitas onde se identificam vestígios dos ratos. Esses raticidas também podem ser usados em locais onde os ratos de forro costumam transitar e se abrigar. Em geral, a desratização é executada em mais de uma visita para monitoramento do consumo das iscas que garantirão a eliminação da infestação. Para indústrias e comércio de alimentos, no entanto, recomenda-se um contrato de monitoramento preventivo. Em casos mais críticos, barreiras mecânicas também podem ser adotadas para dificultar ou impedir o acesso dos ratos. Atenção: nunca aceite ou adquira veneno de rato por conta própria. Além de não garantir eficácia, eles podem ser extremamente tóxicos, colocando em risco a saúde dos animais ou até mesmo dos moradores do local.

Depoimento de Clientes

O nosso trabalho só fica completo com a satisfação de nossos clientes.

Peça a sua cotação